segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Visita de estudo aos núcleos museológicos da Ribeira Chã

video

A Minha Terra - FURNAS


A minha freguesia chama-se Furnas e está dentro de um Vale, por isso é chamada “Vale das Furnas”. O seu nome “Furnas” está ligado às fumarolas, porque quando cá chegaram os primeiros habitantes, viram no chão umas “furnas”, umas cavernas onde saia água a ferver, como eles não sabiam o que aquilo era chamaram de furnas e assim apareceu o nome de Furnas. A Freguesia de Furnas faz parte do Concelho de povoação, tem cerca de 33 km de área e tem cerca de 1541 habitantes. O Vale das Furnas é uma das zonas mais belas dos Açores, sendo visitada por muitas pessoas para verem as nossas belezas naturais, tais como: a Lagoa das Furnas, Caldeiras, Parque Terra Nostra, as nossas flores e até os nossos inhames.

LAGOA DAS FURNAS


Está a 283 m de altitude tem uma área de 174 hectares e 11 m de profundidade Ela é a segunda maior lagoa de S. Miguel, é a única que tem fumarolas cujo vapor é aproveitado para fazer comida: Cozido, Bacalhoada, Arroz Doce….Apesar de podermos passear de gaivotas, fazer piqueniques e podermos pescar, carpas ou trutas, a lagoa está muito doente. Quem passeia pelas suas margens vê uma água verde, com espuma branca, o que significa que a lagoa está a transformar-se num pântano, pois as suas águas já não são claras e límpidas e já não tem muito oxigénio. O governo dos Açores comprou as pastagens para as transformar em matas e assim proteger mais a lagoa das Furnas.

CALDEIRAS


O Vulcão das Furnas é um vulcão muito perigoso porque é um vulcão muito jovem, tem cerca de 3 800 mil anos e tem muita energia. É o que se chama um vulcão potencialmente activo. O que as pessoas chamam “caldeiras” são na realizada “fumarolas” e o nome Caldeiras significa cratera vulcânica que tem mais de 1,5 Km de diâmetro. Nas Furnas pode-se ver fumarolas de água, de lama e de vapor. As Fumarolas de água têm diferentes temperaturas (98,7 ºc, 96ºc, 94º c) e de diferentes composições químicas, umas são sulfúreas, umas férreas, daí que as pessoas vêe umas amarelas e outras de cor de prata. Ao lado de águas quentes tem águas frias, como a Água Azeda 16º c. Podemos cozer milho, castanhas, batatas...


PARQUE TERRA NOSTRA


O Parque Terra Nostra tem cerca de 12,5 hectares e é um dos cinco parques que temos nas Furnas e é o mais antigo. Ele foi criado por um inglês no séc. XVIII, Thomas Hickling que construiu uma casa para passar férias e um pequeno lago onde pudesse passear no seu barco a remos. Nesta altura era chamado por “Jardim do Tanque”.No séc. XX, uma sociedade, chamada “Terra Nostra”, mudou-lhe o nome para Parque Terra Nostra e contratou jardineiros ingleses para plantarem mais árvores e mais flores. É muito bom passear nas avenidas e os fetos, as camélias, as araucárias, as grutas, os cisnes, os pássaros e podemos nadar na piscina com cerca de 42ºc (no torno) e de 1,50m de profundidade.


INHAMES

Como nós temos muitas águas, temos muitas plantações de inhames, os chamados lameiros. O inhame é um primo da batata, um tubérculo que fica na terra cerca de um ano. Nós podemos comê-lo cozido ou frito. Os inhames pequeninos chamam-se minhotos e são como as castanhas, porque colocam-se ao sol para velar e ficarem doces. A quantidade de inhames que existe nas Furnas é tão grande que existe uma ribeira que se chama “Ribeira dos Inhames”, e os Furnenses são conhecidos pelos inhameiros dos Açores. O inhame veio da Nova Zelândia no séc. XVI com as caravelas que vinham do Oriente.


HORTÊNSIAS


Como nós temos uma terra fértil, muita humidade e estamos abrigados dos ventos, existem nas Furnas muitas flores como as azáleas, as camélias, as hortênsias, etc. Estas últimas vieram da Ásia, Japão e China, por vezes mudam de cor sozinhas, num ano podem ser azuis, e no outro podem ser turquesa, rosa, consoante o ferro que existe no solo.

AS CAMÉLIAS


As camélias encontram condições tão boas para crescer que somos classificados a capital das camélias nos Açores. Existem mais de 400 diversidades de camélias. Estas flores são usadas em tapetes no chão quando passa a Procissão do Senhor dos Enfermos.


Texto: Beatriz C (com a ajuda da sua mãe)
Fotografias: Elsa Gouveia

Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, sob a orientação da professora Elsa Gouveia.




Bibliografia:

Guia do Concelho da Povoação, Publiçor, 2005/2006

Lagoas e Lagoeiros, Amigos dos Açores

Frutuso, Gaspar, Saudades da Terra, 4º Livro, II volume

Freitas, Bernardino de Senna, Uma Viagem ao Vale das Furnas

Forjaz, Victor Hugo, Alguns Vulcões da ilha de S. Miguel

Albergaria, Isabel Soares, Parques e Jardins dos Açores

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Quem foi Viriato?

Nasceu em 190 a.C e morreu em 139 a.C.



Viriato era chefe militar lusitano. Era natural da parte ocidental da Lusitânia. Foi lider dos Lusitanos. Lutando contra os romanos, com a sua armadura, seus melhores amigos foram pagos pelos romanos para o matar.



G. Bettencout - 5º ano

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Projecto Raízes


No âmbito do projecto Raízes, a escola Básica 1,2,3/JI de Furnas já adquiriu alguns objectos que, de forma gradual, irão reconstituir as vivências de outros tempos.

Um forte agradecimento a todos aqueles que, de forma generosa e simpática, têm dado o seu contributo.

domingo, 16 de novembro de 2008

Projecto Raízes

“Quando se gosta da vida, gosta-se do passado, porque ele é o presente tal como sobreviveu na memória humana”

Yourcenar, Marguerite


Este ano a escola deu início a um novo Projecto: O Projecto Raízes. Este tem como principal objectivo manter as raízes do passado vivas, condição fundamentar para a nossa identificação como um povo. Para tal, é necessário valorizar a etnografia, sensibilizando os mais novos, e através destes, os mais velhos, para a necessidade de preservação dos vestígios dos nossos antepassados.
É neste sentido que ganha grande importância a criação de uma sala etnográfica na escola, não apenas uma sala repleta de coisas antigas, mas um espaço vivo onde toda a comunidade escolar é convidada a contar histórias de outros tempos, sendo um espaço de cultura, muito mais do que um mero espaço educativo.

Projecto Raízes: Angariação de objectos antigos

Com vista à criação de uma sala ectnográfica na escola, todas as pessoas deste concelho estão convidadas a contribuir doando objectos que estejam relacionados com o quotidiano dos seus antepassados, como por exemplo:
· Objectos associados às lides domésticas;
· Objectos utilizados na decoração das residências;
· Móveis;
· Alfaias agrícolas;
· Livros;
· Moedas e notas;
· Fotografias[1];
· Etc.

É importante registar que esta campanha não busca reunir objectos raros, exclusivos ou de alto valor emocional ou financeiro.

[1] Estas serão devolvidas após autorização expressa para a sua divulgação no âmbito deste projecto

CARÁCTER DA DOAÇÃO

Todos objectos doados estarão automática e graciosamente cedidos à Escola Básica e Integrada de Povoação, em carácter definitivo, não recebendo o doador qualquer tipo de remuneração.


COMO DOAR UM OBJECTO
Contacta a tua professora de História e dá-lhe a conhecer o que pretendes doar! Após a entrega dos objectos, pede-lhe a folha de registo dos mesmos e completa o seu preenchimento com a ajuda dos teus familiares.

domingo, 5 de outubro de 2008

5 de Outubro - Dia da Implementação da República

Sabes o que aconteceu neste dia?
Testa os teus conhecimentos nesta ficha que te deixo "aqui"!